Tribuna Expresso

Perfil

Quarentena à Capela

Se tudo mais o aborrecer neste refúgio da Covid-19, pode sempre mudar a arrumação dos móveis

No último dia da semana, Aníbal Capela sugere que, quando a paciência já não suportar todas as outras coisas, haverá as lides domésticas para ocupar a mente durante este período de isolamento social imposto pelo surto de coronavírus. Este é o quinto episódio da rubrica "Quarentena à Capela"

Diogo Pombo

Partilhar

Estarmos tanto tempo confinados entre paredes, durante um tempo que vivalma sabe, realmente, quando vai acabar, obriga a puxar pela imaginação. Aníbal Capela já nos falou em investir na busca de informação, fazer o exercício físico possível, pensar o que fazer caso um terramoto abane a obrigação de ficar em casa, praticar jardinagem ou até dar uma hipótese a um método que sugere o controlo da respiração e da temperatura do corpo. Mas, se tudo isto bater à porta do tédio, o que fazer?

Bom, nesse caso, o futebolista português confinado à sua casa em Cosenza, no sul de Itália, não é diferente - "Temos de dar uma ordem à casa, aquela ordem que, normalmente, não conseguimos ter no dia-a-dia". Nunca se sabe, "pode ser que gostem mais" e "é uma forma de passar o tempo e facilitar o teu amanhã".

Aníbal Capela tenta fazer os possíveis, em casa, para afastar o pó do físico, opta pelo treino Tabata para simular algum esforço cardiovascular e aguarda, como todos os futebolistas em Itália - que já ultrapassou a China em número de mortes causadas pelo novo coronavírus -, por novidades de quem manda no futebol e no país.