Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Râguebi

É improvável que a França ganhe o Seis Nações, mas não é impossível. E isso é o melhor que tem desde há muito

É difícil, as circunstâncias são adversas e as contas a serem feitas também: para conquistar o torneio das Seis Nações, que não vence desde 2010, a França tem de ganhar à Escócia, esta sexta-feira (20h, Sport TV5), com pelo menos quatro ensaios marcados e 21 pontos de diferença

Diogo Pombo

Anthony Dibon/Getty

Partilhar

Até parecia televisão para encher tardes ao fim de semana, um daqueles filmes em que, às tantas, a narrativa começa a entortar para o protagonista com uma série de acontecimentos maus, azarados ou indesejados que são um iminente trampolim para que ele, no final, tudo ultrapasse e surpreendentemente saia vitorioso.

Esse protagonista aparentava ser a seleção de Gales, no sábado passado, em Paris, onde foi jogar o seu último jogo do Seis Nações com a França. A meio da segunda parte lá iam os galeses, sossegados da vida, estava 27-20 e o jogo com cara de ser deles. Da seleção que, ganhando, confirmava a conquista do torneio só com vitórias, o cobiçado Grand Slam que atesta a omnipotência do seu dono.

Artigo Exclusivo para assinantes

No Expresso valorizamos o jornalismo livre e independente

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler