Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Cuenca queria jogar no clube da terra, mas não pode. Porque ia “ganhar pouco”

Na última época, Cuenca vestiu as cores do Hapoel Be'er Sheva; nesta, voluntariou-se para regressar a Espanha e jogar pelo CF Reus, clube da sua cidade natal. Mas a Liga espanhola não deixou

Expresso

Aitor Alcalde Colomer

Partilhar

Eis um caso insólito que se passou no nosso país vizinho: a Liga espanhola rejeitou a inscrição de Isaac Cuenca, jogador de 27 que passou pelo Barcelona e Ajax, como futebolista do CF Reus, equipa compete no segundo escalão nacional, por desconfiar do salário acordado entre o jogador e o clube, conta o “El País” esta terça-feira.

No entender da La Liga, Cuenca ia ganhar pouco; melhor, ia ganhar mais “por fora” do que aquilo que estava inscrito no seu contrato.

Farão sentido as suspeitas? Talvez sim, talvez não.

Depois de ter passado por muitos clubes estrangeiros nas últimas épocas, Isaac Cuenca decidiu regressar a casa “para ser feliz” - uma história em tudo semelhante à de Fábio Coentrão, por acaso.

Na última época, vestiu as cores do Hapoel Be'er Sheva; nesta, voluntariou-se para regressar a Espanha e jogar pelo CF Reus, clube da sua cidade natal. “Resolvi a minha situação com o Hapoel Be'er Sheva, renunciando a ofertas interessantes para voltar a Espanha. Decidi aceitar a proposta do Reus, porque é o clube da minha cidade natal. Além disso, queria jogar em casa depois de algum tempo fora e para poder reencontrar-me com um futebol de máximo nível, como é o espanhol”, explicou Cuenca, numa publicação das redes sociais.

Apesar da história quase romântica do bom rapaz que regressa à terra, a La Liga não ficou convencida da justificação de Cuenca e rejeitou a sua inscrição já depois do extremo ter rescindido contrato com o Hapoel Be'er Sheva.

“Para minha surpresa e apesar dos esforços do clube, a La Liga negou-se a inscrever-me com o argumento de que o meu salário, independentemente do que acordei com o clube, estava num nível muito superior ao que estava estabelecido no contrato. Aceitei a mesmas condições económicas que os outros jogadores que se inscreveram. No entanto, a La Liga não atuou da mesma maneira no meu caso. Continuarei a trabalhar para jogar em Espanha”, explicou Isaac Cuenca, também numa publicação nas redes sociais.