Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Polícia de Las Vegas reabre investigação a alegada violação de CR7

A polícia de Las Vegas confirmou que Mayorga, em 2009, queixou-se de uma violação sexual às autoridades. Porém, na época, não identificou o agressor

Expresso

Arnd Wiegmann

Partilhar

A polícia metropolitana de Las Vegas, Nevada, nos Estados Unidos da América, anunciou na segunda-feira a reabertura da investigação à alegada violação de uma mulher por Cristiano Ronaldo, internacional português e jogador da Juventus, em 2009, avança hoje o “The New York Times”.

Este caso veio a público novamente no último fim de semana, depois de um artigo de investigação da "Der Spiegel" sobre o assunto.

As forças judiciais dos EUA emitiram segunda-feira um comunicado a informar que estavam, mais uma vez, a reunir provas e a analisar as queixas da vítima.

Na passada quinta-feira, Kathryn Mayorga, a mulher em causa, lançou um novo processo contra CR7. Neste, ela admite ter recebido 375 mil dólares do jogador português para desistir da sua queixa, há nove anos, e ter assinado um “nondisclosure agreement”( acordo de confidencialidade).

Parte dos documentos da acusação de Mayorga foram publicados na “Der Spiegel”. Os advogados de CR7 já se queixaram que este procedimento foi “ilegal”; CR7, numa publicação nas redes sociais, chamou a história de “fake news”.

A polícia de Las Vegas confirmou que Mayorga, em 2009, apresentou queixa às autoridades de uma violação sexual.