Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Francisco J. Marques: “Luís Filipe Vieira estava com medo de ser preso”

Luís Filipe Vieira terá pedido para ser ouvido no âmbito dos processos e-toupeira, e-mails e operação Lex, por “ter medo de ser detido”, acusou Francisco J. Marques, diretor de comunicação dos dragões, na terça-feira à noite, no Porto Canal

Expresso

JOS\303\211 COELHO

Partilhar

Luís Filipe Vieira terá pedido para ser ouvido no âmbito dos processos e-toupeira, e-mails e operação Lex, por “ter medo de ser detido”, denunciou Francisco J. Marques, diretor de comunicação dos dragões, na terça-feira à noite, no Porto Canal.

“No dia 29 de março de 2018, através do seu advogado, Luís Filipe Vieira fez um requerimento em que se diz perseguido pelas notícias… E depois diz: 'Por estas razões o requerente considera urgentíssimo apresentar-se presencialmente perante vossa excelência, de modo a prestar declarações assim como colaborando na descoberta da verdade o mais rapidamente possível, quer sobre estes autos ou outros casos ou processos…' Os três processos, não é difícil perceber que são E-Toupeira, E-Mails e Operação Lex”, começou por revelar o dirigente portista.

O que isto quer dizer? Segundo Francisco J. Marques, a resposta é óbvia.

“Luís Filipe Vieira estava com medo de ser preso e fez o que Bruno de Carvalho fez na semana passada. Só que fez isto com uma agravante. Queria ser ouvido, queria ser ouvido sobre tudo… Estava com medo de ser preso… Engraçado que depois deste requerimento nunca quis ser ouvido e andou a gozar com o Ministério Público. Convém recordar que no dia em que o Ministério Público aceita que outros administradores da SAD fossem lá para a SAD ser considerada arguida, ele teve alta no hospital”, atirou.