Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

José Fonte: “Infelizmente não fui abençoado com talento inacreditável. Para chegar longe, tive que trabalhar no duro”

Em entrevista ao site da Liga Francesa esta segunda-feira, José Fonte recordou os seus primeiros passos no futebol, sendo muito humilde na hora de evocar o seu talento natural para o desporto

Expresso

JONATHAN NACKSTRAND / Getty

Partilhar

Depois de uma passagem de dois anos pela China, José Fonte aceitou o convite do Lille e rumou a França, no último verão. Em entrevista ao site da Liga Francesa esta segunda-feira, o defesa português de 34 anos revelou o porquê de ter assinado pelo clube francês e o que é que o convenceu a regressar à Europa.

“A oferta do Lille aconteceu durante o Mundial. Eles explicaram-se qual seria meu papel aqui, o de trazer alguma experiência e liderança, e é isso que eu tenho tentado fazer. Não sou pai de ninguém, já tenho dois filhos, e isso já é um trabalho difícil. Por isso, tento apenas dar o exemplo, ser um ótimo profissional, falar com os mais jovens e dar o exemplo no treino”, contou o central.

Fonte recordou também os seus primeiros passos no futebol, sendo muito humilde na hora de evocar o seu talento natural para o desporto.

“Infelizmente não fui abençoado com talento inacreditável, força ou ritmo. Isso são várias coisas com que eu não nasci. Então, para chegar longe, tive que trabalhar no duro, apenas para tentar competir os mais talentosos. A única fora de competir com eles é trabalhar três vezes mais do que eles no ginásio. Já fui dispensado duas vezes: a primeira aos 13 anos e a segunda no Sporting, aos 18. Tive de lidar com situações difíceis desde muito jovem, mas isso tornou-me mais forte”, disse.