Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Jorge Jesus: “Bruno de Carvalho mentiu em tribunal, foi ele que alterou a hora do treino”

Em entrevista ao “Correio da Manhã” esta segunda-feira, Jorge Jesus garante que foi BdC a alterar a hora do treino no dia do ataque em Alcochete. Quando foi interrogado em tribunal, lembremos, Bruno de Carvalho acusou JJ de ter sido o responsável por essa mudança

Expresso

Jorge Jesus foi dispensado no final da época passada por Bruno de Carvalho depois da derrota na última jornada contra o Marítimo, jogo que retirou o segundo lugar do campeonato ao Sporting

Gualter Fatia/ getty

Partilhar

“Bruno de Carvalho mentiu em tribunal, o treino foi alterado das dez da manhã para as quatro da tarde, porque ele disse que precisava de tempo para que fosse criada a nota de culpa para suspender a equipa técnica.” Eis uma afirmação de Jorge Jesus, treinador do Al-Hilal e ex-líder de balneário dos leões, nada ambígua e muito problemática para o caso do ex-presidente do Sporting.

Em entrevista ao “Correio da Manhã” esta segunda-feira, JJ garante que foi BdC a alterar a hora do treino no dia do ataque em Alcochete. Quando foi interrogado em tribunal, lembremos, Bruno de Carvalho acusou JJ de ter sido o responsável por essa mudança.

“Quem mudou foi ele. Agora não sei se foi com a intenção de alguma coisa. Só vou falar deste pormenor porque o resto está em segredo de justiça. Falo disto porque tenho testemunhas. A minha equipa técnica estava comigo na reunião em Alvalade [véspera do ataque a Alcochete] em que eu ia ser despedido ou suspenso. Estavam comigo Mário Monteiro, Márcio Sampaio, Raul José e Miguel Quaresma. Houve uma altura na conversa em que eu digo que o treino do dia seguinte era às 10 da manhã, mas o Bruno de Carvalho disse que não, porque não tinha tempo de fazer a minha nota de culpa junto dos advogados e, portanto, eu teria de alterar o treino de manhã para a tarde”, conta o treinador português.

Ainda na mesma conversa, Jorge Jesus confessa ter ficado indignado com as palavras de Bruno de Carvalho, quando este disse que o treinador tinha levado uma “vergastada muito levezinha”, pois nem ficou com marcas, depois do ataque em Alcochete. “Nem estava lá, nem sabe o que se passou. Fui agredido outra vez e estava lá muita gente, incluindo jogadores que viram. O Petrovic viu e o William também viu essa agressão. Eu virei-me a alguns adeptos e disse que aquilo em Alcochete era uma traição ao Sporting. Logo a seguir levei um soco que me fez cair. Ele [Bruno de Carvalho] nem sequer lá estava”, diz.

Benfica e Rui Vitória

Questionado se Luís Filipe Vieira lhe ligasse agora regressava já para Portugal e para o Benfica, JJ rejeitou esse cenário. “Não. Estou num projeto em que quero ficar. Vou voltar a Portugal, não sei é quando, nem como, nem qual o clube. Importante é voltar para um clube que me quer, tenho de sentir que as pessoas me querem. Não me devem qualificar por ter mudado do Belenenses para o Sp. Braga ou do Benfica para o Sporting. Isso é uma injustiça. Qualifiquem-me se eu sou bom ou mau treinador”, atirou.

Quanto à decisão de manter Rui Vitória, JJ elogiou essa tomada de posição de Vieira. “Fez muito bem, mostrou que acredita e só assim o treinador sente que está protegido. Não esperava outra coisa do presidente do Benfica. O Benfica precisa de paz e sossego”, disse.