Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

O nome dele é Lucas. E é do Benfica

Caio Lucas saiu do Brasil em 2011 e está há três épocas nos Árabes Unidos. Antes, passou também três temporadas no Kashima Antlers do Japão

Expresso

Michael Regan - FIFA

Partilhar

Caio Lucas, extremo de 24 anos em final de contrato com o Al Ain, dos Emirados Árabes Unidos, é o primeiro reforço do Benfica já para a próxima época. O jogador brasileiro chegou na terça-feira a Lisboa para realizar os habituais exames médicos e já assinou contrato por cinco temporadas com os encarnados.

Nos próximos seis meses, porém, continuará a jogar nos Emirados Unidos. O jogador brasileiro, que também foi cobiçado pelo FC Porto, regressará hoje ao Dubai para cumprir o que resta do contrato com o Al Ain.

Lucas saiu do Brasil em 2011 e está há três épocas nos Árabes Unidos. Antes, passou também três temporadas no Kashima Antlers do Japão.

"É um jogador com características de um futebol alegre, futebol para a frente, um jogador que gosta das jogadas individuais. Defrontei-o algumas vezes aqui no campeonato dos Emirados e também na final da Champions League da Ásia. Um excelente jogador. Tenho a certeza de que o Benfica está a fazer uma grande contratação”, disse Leonardo Pereira, jogador do Al-Jazira que jogou várias vezes contra Caio Lucas no campeonato dos Emirados Árabes Unidos, em declarações à “Renascença”.

De acordo com os desportivos nacionais, na hora de assinar os papéis, houve divergências financeiras que por pouco não boicotaram o negócio.

Ao que consta, o Benfica apresentou uma proposta ao jogador 1,8 milhões de euros de prémio de assinatura, 1,2 milhões de euros de direitos de imagem e 1 milhão de comissões de intermediação; além destas regalias, os encarnados ofereceram ainda um salário de 1,4 milhões de euros a Caio Lucas para a primeira época com a garantia de aumento de 100 mil euros nas próximas quatro temporadas. Ou seja, se na época 2023/24 Caio Lucas ainda estiver no Benfica estará a ganhar 1,8 milhões de euros.

Segundo a “A Bola”, o desentendimento entre as partes surgiu na questão da tributação fiscal, uma vez que Caio Lucas e os seus representantes consideraram que os valores discutidos seriam livres de impostos o que gerou um diferendo com o Benfica. As negociações prosseguiram e acabam por ser os representantes de Caio Lucas a aceitar a proposta do Benfica.