Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Caso Mala Ciao. Mãe de dirigente do Aves esconderia contratos com o Benfica

De acordo com a acusação do Ministério Público, os jogadores do Benfica eram emprestados ao clube da Vila das Aves de forma encapotada

Expresso

marcos borga

Partilhar

O Ministério Público não tem dúvidas de que existia um esquema criminoso, liderado pelo Benfica no caso Mala Ciao, que tinha como principal aliado o Desportivo das Aves.

De acordo com os documentos de acusação do processo, os jogadores encarnados eram emprestados ao clube da Vila das Aves de forma encapotada.O esquema era simples: os jogadores assinavam contrato com o Aves, mas os da Luz tinham uma cláusula secreta. Estava garantida a recompra, o que permitia exceder o limite máximo de empréstimos a uma equipa.

A notícia, divulgada esta quinta-feira pelo "Correio da Manhã", já tinha sido avançada há seis meses pelo "Jornal de Notícias".

O MP indica que há mesmo aditamentos a contratos de jogadores em que estão mencionados valores à parte. No caso do Aves, os contratos estavam escondidos na casa da mãe de um dos dirigentes.

A mesma investigação indica que Benfica se terá disponibilizado para abordar jogadores adversários do Desportivo das Aves, até ao final do campeonato 2017/18, para facilitação e viciação dos resultados.