Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Zidane queria manter CR7, vender Bale. Florentino Pérez “fez o contrário”, revela ex-presidente dos merengues

Bale ainda não conseguiu ocupar o lugar deixado vago por Cristiano Ronaldo: só marcou quatro golos em 15 jogos de La Liga e três tentos em cinco partidas da Liga dos Campeões

Expresso

JAVIER SORIANO/Getty

Partilhar

Zinedine Zidane tinha um plano para o futuro do Real Madrid esta época, mas Florentino Pérez tinha outro. Para o francês, os merengues deviam segurar Cristiano Ronaldo e vender Bale. Só que Pérez não acedeu ao pedido de Zidane e fez o contrário. Esta decisão do líder dos merengues terá sido um dos motivos que levou à saída do técnico francês no último verão.

“O presidente [Florentino Pérez] fez exatamente o oposto do que o Zidane tinha pedido: segurar o Ronaldo e transferir o Bale, para além de outras contratações. Não teve os desejos satisfeitos e por isso decidiu sair. E tomou a decisão certa”, revelou Ramon Calderón, antigo presidente do Real Madrid, em entrevista ao site “Bleacher Report”.

Segundo Calderón, existe, neste momento, falta de liderança no balneário do Real Madrid. “Cristiano era um líder. O mundo inteiro sabe o tipo de profissional que ele é. É um modelo para os seus companheiros. Compete em cada sessão de treino, em cada jogo. Foi isto que a equipa perdeu com a saída de Ronaldo. Não eram só os 50 golos por época que ele marcava, mas também a liderança. Ele ajudava os companheiros. Encorajava-os a jogar melhor, a treinar mais”, disse.

No verão passado, Cristiano Ronaldo acabou por partir para Turim, deixando Gareth Bale como principal protagonista do ataque dos blancos. O futebolista galês, porém, não ocupou o lugar deixado vago pelo internacional português: só marcou quatro golos em 15 jogos de La Liga e três tentos em cinco partidas da Liga dos Campeões.