Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Joseph e Jardel deviam ter sido expulsos? E Gabriel cometeu falta para penálti? O que dizem os especialistas

Faltou “pulso disciplinar” ao árbitro Hugo Miguel, escrevem os especialistas em arbitragem esta quarta-feira

Expresso

OCTÁVIO PASSOS/LUSA

Partilhar

João Félix foi a estrelinha do Benfica na terça-feira à noite frente ao Vitória de Guimarães. Os encarnados ganharam por 1-0 e avançaram na Taça de Portugal. O encontro foi muito faltoso e o juiz da partida poderá ter influenciado o resultado final do encontro.

Ao árbitro Hugo Miguel, dizem os especialistas em arbitragem, faltou-lhe “pulso disciplinar”. “Numa partida de grau de dificuldade elevado, não era fácil fazer melhor”, escreve Duarte Gomes na “Bola” esta quarta-feira.

Dois jogadores - um do Benfica e outro do Guimarães - poderiam ter sido expulsos.

Minuto 24. Foi correta a decisão de mostrar amarelo a Jardel por falta sobre Davidson?

“Não era esta a cor do cartão. Falta grosseira, entrada com força excessiva que colocou em perigo a segurança do adversário. Seria, por isso, cartão vermelho”, aponta José Leirós, um dos três especialista em arbitragem do desportivo “O Jogo”.

Já Duarte Gomes, na “Bola”, apoia a decisão de Hugo Miguel. “Aceita-se a leitura do árbitro em entender que o pisão foi apenas imprudente”, escreve.

Minuto 72. Falta de Joseph sobre André Almeida justificava ação disciplinar?

“Joseph foi foi negligente e não ponderou o tempo de entrada, pisando André Almeida. Justificava, por isso, o cartão amarelo, que seria o segundo e a expulsão”, escreve Jorge Coroado.

“Na segunda parte, Joseph iria protagonizar algumas entradas mais ríspidas, que lhe poderiam ter criado outros dissabores disciplinares. (...) Pelo meio, cometeu duas infrações que ficaram… no limite”, escreve Duarte Gomes.

Minuto 45. Gabriel cometeu falta para penálti?

“Gabriel faz, claramente, a receção da bola de forma deliberada e com o antebraço esquerdo, dentro da área. Assim sendo, ficou um penálti por assinalar a favor do Vitória de Guimarães”, aponta Fortunato Azevedo, cuja opinião é também partilhada pelos outros dois colunistas do “Jogo”.

“Completamente. Com o antebraço esquerdo, Gabriel dominou a bola na área. Penálti comodamente transformado e intervalo”, escreve Jorge Coroado.