Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“Para o Jorge Jesus, a simples ideia de haver alguém que não gosta dele é insuportável” - o livro de Bruno

O "Record" publica este domingo o oitavo capítulo do livro "Sem Filtro - As Histórias dos Bastidores da Minha Presidência", de Bruno de Carvalho e Luís Aguilar. É todo ele dedicado a Octávio Machado, que coincidiu com BdC em Alvalade a pedido, diz o ex-presidente, de Jorge Jesus

Tribuna Expresso

NurPhoto

Partilhar

O "Record" publica este domingo, na íntegra, o capítulo oito do livro "Sem Filtro - As Histórias dos Bastidores da Minha Presidência", de Bruno de Carvalho e Luís Aguilar.

No trecho reproduzido nas páginas do desportivo, o tema central é Octávio Machado, o antigo diretor para o futebol do Sporting nos tempos de Jorge Jesus, que entrou para o clube, segundo BdC, a pedido do treinador. Porquê? "O Jorge disse-nos que o Octávio era alguém com muita experiência e conhecimento do que era o futebol português, e que o Sporting não tinha ninguém assim, dando sempre como exemplo o Benfica, onde existiam várias pessoas com este perfil", lê-se.

"Todos os dias, por volta das oito da manhã, punha o Jorge [Jesus] fora de si porque começava a ler-lhe tudo o que vinha na imprensa sobre pessoas que poderiam ter emitido uma opinião menos simpática sobre o nosso treinador. 'Já viste o que este diz de ti?'. Para o Jorge Jesus, a simples ideia de haver alguém que não gosta dele é insuportável".

Por outro lado, e segundo BdC, Octávio e Jesus diziam que o Sporting "tinha muito a aprender com a estrutura do Benfica". "Davam o exemplo de que o encarnados compravam quantidades consideráveis de bilhetes dos estádios adversários, quando iam lá jogar, para terem o apoio do seu público, naturalmente, mas acabando por ter influência junto desses mesmos clubes. Também focaram a importância de os clubes se saberem relacionar bem com os árbitros". "O Otávio trazia com ele algumas ideias estranhas. Tanto ele como o Jorge diziam que certos clubes conseguiam ter influência junto de outros para vencerem quando jogassem contra eles. [...] Os chamados prémios para ganhar ou perder".