Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Os tempos loucos do Marselha. “Num jogo, drogamos os jogadores do PSG com Haldol”, diz Marc Fratani

Durante os anos de sucesso do Marselha, sob a liderança de Bernard Tapie, houve vários episódios que levantaram suspeitas sobre o clube francês

Expresso

Partilhar

Houve um tempo em que o Marselha queria ganhar a todo o custo. Mesmo a todo o custo.

Segundo Marc Fratani, ex-assessor de Bernard Tapie, ex-presidente do clube francês, os dois, durante muitos anos, fizeram de tudo para elevar, melhorar os resultados do Marselha. Em declarações ao “Le Monde”, Fratani revelou episódios macabros (e ilegais) que certamente trarão consequências para o clube.

“Uma vez participei no suborno a um árbitro. Foi num jogo com o PSG em Paris. No dia seguinte, encontrei-me com ele no local discreto que tínhamos combinado. Naquele jogo, os jogadores do PSG foram desestabilizados com o uso de uma droga psicotrópica: Haldol. O produto foi injetado nas garrafas de água”, contou.

Durante os anos de sucesso do Marselha, houve vários episódios que levantaram suspeitas sobre o clube francês, note-se. O testemunho de Fratani, contudo, é o primeiro a confirmar os boatos que circularam pelos jornais.

Num jogo contra o Rennes, houve um sumo de laranja “adulterado” que deixou os adversários de rastos. Dois jogadores do clube, Mario Baltazar e Pascal Rousseau, sentiram-se mal devido a este sumo, precisaram de assistência médica.