Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Miguel Oliveira: “Se continuar como o Rossi só serei dentista lá para os 40 ou 50 anos”

Em entrevista ao “Motosport” esta quarta-feira, Miguel Oliveira confessa que a sua prioridade, na estreia do Mundial de MotoGP, será “acabar corridas”

Expresso

Mirco Lazzari gp/Getty

Partilhar

Miguel Oliveira está a alguns dias de distância de cumprir um sonho: participar no Mundial de MotoGP. O piloto português vai estrear-se este fim-de-semana, no Qatar, na principal categoria do motociclismo mundial. Em entrevista ao “Motosport” esta quarta-feira, Oliveira confessa que a sua prioridade, para já, será “acabar corridas”.

“Não gosto de estabelecer limites, vou sempre fazer o melhor que conseguir, como é lógico, mas a prioridade para mim é poder acabar as corridas porque quero perceber como é que a corrida se desenvolve, quero perceber como é que a minha atitude corporal tem de mudar ao longo da prova, como tenho de me preparar fisicamente, que mapas de eletrónica usar, ver como é que a moto se altera ao longo das voltas, isso eu ainda não tenho. Se me encontrar numa situação em que estiver nos pontos ou a lutar pelo top 10, é fantástico, mas o resultado agora não é o foco”, disse o piloto.

O segundo sonho de Miguel Oliveira, ser dentista, contudo, continua a ser adiado - por ótima razões, note-se. “Não gosto de dizer que está em 'standby' porque estou inscrito e por vezes vou lá e faço uma cadeira ou outra. Mas já vi que dentista, se continuar como o Rossi, só lá mesmo para os 40 ou 50 anos…”, confessou.