Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Sporting. Direção de BdC pagou €330 mil por direito de preferência sobre 7 jogadores. “CM” diz que quatro não existem

Na associação de Futebol de São Vicente, em Cabo Verde, apenas há registo de três atletas do Batuque. Sobre os restantes quatro futebolistas, o jornal não encontrou qualquer documento que prove a sua existência

Expresso

Partilhar

Em 2017, o Sporting, ainda sob a liderança de Bruno de Carvalho, e o Batuque Futebol Clube, equipa de Cabo Verde, assinaram um protocolo de prospecção por 330 mil euros - o valor em causa transitou dos cofres do clube de Alvalade para Cabo Verde. Em troca, o Batuque reservou aos leões o direito de preferência por sete jogadores. Ora, desde que este acordo foi assinado, o Sporting nunca recebeu qualquer relatório técnico, fotografia ou vídeo dos respetivos jogadores.

Esta situação, contudo, pode ainda ser mais grave, de acordo com o “Correio da Manhã” esta terça-feira. O matutino deslocou-se a Cabo Verde e encontrou apenas três dos sete jogadores que fazem parte do protocolo de prospeção.

Na associação de Futebol de São Vicente, em Cabo Verde, apenas há registo de três atletas do Batuque: Fabrício Kone, Kevin Patrick Alves Fortes e Júnior Jorge Coelho da Cruz. Sobre os restantes quatro futebolistas o jornal não encontrou qualquer documento que prove a sua existência.

Confrontado pelo “CM”, o presidente do Batuque, João Cardoso, que assinou o protocolo com Bruno de Carvalho, disse: “Um dia vocês vão saber quem são esses quatro jogadores. Vão jogar em grandes clubes. Agora não posso dizer.”

Após insistência do jornal, o presidente do Batuque esclareceu que os quatro jogadores estão noutros tantos países africanos:Guiné-Conacri, Camarões, Guiné-Bissau e Costa do Marfim.

Já sob a liderança de Frederico Varandas, o Sporting cessou o protocolo com o Batuque Futebol Clube. Em janeiro terá sido solicitado pela Administração da SAD do Sporting ao departamento jurídico, uma minuta de acordo de resolução do contrato.