Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Mourinho: “Perder um jogo ou empatar dois não é sinónimo de perda de qualidade, mas o Benfica de Lage está muito forte”

Em entrevista à “Bola” esta quarta-feira, o técnico português comenta a remontada dos encarnados no campeonato

Expresso

Jason Cairnduff

Partilhar

Bruno Lage terá alguns pós de perlimpimpim, pois conseguiu reinventar o Benfica - e surpreender José Mourinho. Em entrevista à “Bola” esta quarta-feira, o técnico português comenta a remontada dos encarnados no campeonato.

Há dois meses, quando os dragões tinham sete pontos de avanço do Benfica, Mourinho quase deu o campeonato por fechado. “Enganei-me. Pensei que um FC Porto forte, compacto e sólido tivesse o campeonato controlado, mas um par de empates e fundamentalmente a derrota com o Benfica transformou o campeonato que, assim, se jogará até ao último dia”, diz.

Segundo Mourinho, o FC Porto não piorou. “Perder um jogo ou empatar dois não é sinónimo de perda de qualidade, mas o Benfica, com a entrada de Bruno Lage e o impacto que ele criou, entrou num ciclo importante de vitórias e parece, apesar da juventude, muito forte neste duelo”, atira.

FC Porto na Liga dos Campeões

“Estar nos quartos de final de uma competição europeia é muito bom para os clubes e para o futebol português. Eu digo sempre: quem chega aos quartos-de-final tem 12,5 por cento de hipóteses de ganhar a prova. É uma modo cru de olhar para a competição, mas também um modo motivador de a encarar. O Liverpool é uma excelente equipa, mas o FC Porto sabe os erros que cometeu [no anos passado] e irá trabalhar na correcção”, diz.

Benfica na Liga Europa

“Terá no E. Frankfurt um adversário sem o prestígio e a força do nome, mas com uma equipa muito interessante, muito bem organizada, muito agressiva no ataque aos espaços profundos. Vai ser, portanto, uma eliminatória muito equilibrada e discutida, mas a emoção, a motivação dos quaurtos e o cheiro das meias-finais será um fator bonito de viver e os jogadores por certo vão agarrar a oportunidade”, diz.