Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Vítor Catão: “Estão cá em Portugal três ou quatro russos para matar o Rui Pinto”

Em declarações à “CMTV” na segunda-feira, Catão disse que o Benfica lhe deu 200 mil euros para colocar um GPS no carro de Pinto da Costa, “dar uma coça” em Francisco J. Marques e corromper árbitros

Expresso

Partilhar

O pirata informático Rui Pinto, o “John” do Football Leaks, afirmou, há algumas semanas, que não queria ser extraditado da Hungria para Portugal (o que acabou por acontecer) por motivos de segurança. Ora, Vítor Catão, diretor do S. Pedro da Cova, em declarações à “CMTV” na segunda-feira, corroborou a tese do hacker português.

Segundo Catão, estão vários “russos” em Portugal para matar Rui Pinto. “No nosso país mandam três advogados, em Lisboa, e não o Primeiro-Ministro. Estão cá em Portugal três ou quatro russos para matar o Rui Pinto. E não é por causa do FC Porto, do Benfica ou Sporting. Isto é porque ele entrou no site desses advogados e descobriu duas coisas que, se vêm à baila, Portugal morre”, afirmou.

Ainda na mesma entrevista, Catão disse que o Benfica, através de Luís Filipe Vieira, lhe deu 200 mil euros para colocar um GPS no carro de Pinto da Costa, “dar uma coça” em Francisco J. Marques e corromper árbitros e jogadores.

“Fui ao escritório novo do Vieira, no Seixal, e falei com ele. Tenho o vídeo em que estou com ele. Vieira pediu-me três coisas: primeiro, para pôr uma lapa no carro de Pinto da Costa (não sei o que é), e tenho testemunhas, e depois pediu para arranjar alguém para dar uma grande coça ao Francisco J. Marques para o meter em coma", começou por dizer, acrescentando que essa quantia serviria também para "negociar árbitros e jogadores para o Benfica ganhar”.