Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Bruno de Carvalho: “Jesus aproveitou o trabalho de Leonardo Jardim. Ele vai dizer que não, porque não há ninguém no cimo da terra além dele”

A culpa do Sporting B ter descido de divisão foi de Jorge Jesus... e o mérito da primeira temporada nos leões foi de Leonardo Jardim. Quem o diz é Bruno de Carvalho, ex-presidente do Sporting, em entrevista ao podcast “Sporting 160”

Expresso

Pedro Nunes

Partilhar

A culpa do Sporting B ter descido de divisão foi de Jorge Jesus... e o mérito da primeira temporada nos leões foi de Leonardo Jardim. Quem o diz é Bruno de Carvalho, ex-presidente do Sporting, em entrevista ao podcast “Sporting 160”. Eis os principais destaques da conversa:

O bom rendimento que Jorge Jesus teve ao comando do Sporting… foi mérito de Leonardo Jardim

“Tanto Marco Silva como Jorge Jesus aproveitaram muito do trabalho de Leonardo Jardim. O Jorge consegue o aproveitamento desse trabalho – ele vai dizer que não porque não está mais ninguém no cimo da terra para além de Jesus –, juntou o trabalho feito e talento descoberto àquela estrelinha que ele trazia, aquela vontade que ele trazia, em que os jogadores olhavam para o treinador e entravam mais serenos em campo porque tinham um treinador campeão a orientá-los. No segundo e terceiro ano já não aconteceu isso”, afirmou

Foi culpa de JJ que o Sporting B tenha descido de divisão

“A equipa B era vista pelos jogadores que lá jogavam quase como um castigo. Se chamássemos um jogador ao plantel principal, ele tinha a noção que ia lá ficar; se tivesse que descer era uma despromoção. Não acontece se um jogador vai dos juvenis aos juniores e depois regressa. O Tiago Craveiro, da FPF, disse que eu tinha toda a razão quando eu defendia o projeto dos sub-23. Já não é visto como despromoção, mas sim um crescimento gradual e natural. Se descemos da divisão foi porque tínhamos um treinador na equipa principal que queria trazer outro treinador na equipa B e tirar o que lá estava. E depois não cedia jogadores da equipa principal para a equipa puder B fazer pontos. Descer de divisão não era um plano.”

Caso Batuque

Jovane “não veio ao abrigo do acordo, nem do Batuque”, mas estava "referenciado por alguém do Batuque antes de se fazer esse acordo”, garantiu Bruno de Carvalho.

“É perfeitamente normal que o Sporting, assim como os seus clubes rivais fazem, dê um apoio financeiro quando faz esse protocolo. Dinheiro esse que seria reavido por cada vez que o Sporting trouxesse jogadores vindos do próprio Batuque. Exemplo: o Sporting vai diretamente a um clube e diz que está interessado num jogador. Imediatamente o preço do jogador sobe para um milhão de euros. Se ao Batuque chegar um jogador que está referenciado pelo Sporting, se calhar troca-o por um par de sapatilhas ou por uma sanduíche e o Sporting conseguiria assim através do protocolo bons jogadores por um preço muito abaixo do preço que seria expectável", diz.

Assembleia Geral e a expulsão de sócio

Bruno de Carvalho só irá à Assembleia Geral que votará o recurso da sua expulsão de sócio mediante um conjunto de "condições", já entregues pelo ex-presidente, "em carta", ao Sporting.

“Irei se não abrirem as urnas antes de começar a discussão e se os visados puderem falar mais do que três minutos, talvez entre 15 ou 20 para que possamos falar do que se está a passar. E muito menos aceitarei ir a uma AG em que, enquanto estou a falar, as pessoas já estão a votar”, diz.