Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Nadjack faz penálti? Bem assinalado penálti sobre Luiz Phellype? Filipe Augusto estava fora de jogo? O que dizem os especialistas

Luís Godinho, o juiz da partida, teve uma abordagem tranquila ao encontro e não houve grandes erros. “Um jogo em que os jogadores se respeitaram e aos outros agentes. Uma simples falha não tinha brilhantismo à prestação”, escreve Jorge Coroado, especialista em arbitragem do “Jogo”

Expresso

Getty

Partilhar

O Sporting derrotou o Rio Ave por 3-0, no domingo à noite, sem grandes dificuldades. Luís Godinho, o juiz da partida, teve uma abordagem tranquila ao encontro e não houve grandes erros. “Um jogo em que os jogadores se respeitaram e aos outros agentes. Uma simples falha não tinha brilhantismo à prestação”, escreve Jorge Coroado, especialista em arbitragem do “Jogo”.

Minuto 23. Nadjack faz penálti ao cortar com o braço remate de Acuña?

“É uma bola inesperada, não há movimento deliberado para cortar com o braço. Bem decidido”, escreve Fortunato Azevedo, no “Jogo”.

“Não há qualquer movimento de braço deliberado para interceptar a bola, foi casual. Decidiu bem ao não assinalar penálti”, defende José Leirós, no “Jogo”.

Minuto 33. Bem assinalado penálti de Messias sobre Luiz Phellype?

“Penálti bem assinalado por Luís Godinho após carga imprudente de Messias. O lance na área vilacondense teve tanto de evitável como de evidente”, escreve Duarte Gomes, em “A Bola”.

“Messias abalroou Luiz Pehllype, fazendo falta inequívoca para pontapé de penálti. Bem assinalado”, aponta Jorge Coroado, no “Jogo”. A mesma decisão é defendida pelos outros especialistas do desportivo.

Minuto 63. Filipe Augusto estava fora de jogo?

“Fora de jogo mal assinalado. No momento em que a bola foi centrada, Filipe Augusto esteve em linha com todos os adversários”, escreve José Leirós, no “Jogo”.

“Fora de jogo mal assinalado ao ataque do Rio Ave. Bruno Moreira estava em posição regular no momento da assistência de cabeça, de Felipe Augusto”, aponta Duarte Gomes, em “A Bola”.