Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Jorge Jesus: “Em Inglaterra, tenho a possibilidade de começar a trabalhar já em maio”

Em declarações à “CMTV” na segunda-feira à noite, Jesus disse estar tranquilo quanto ao futuro… e deixou pistas sobre o mesmo

Expresso

Denis Doyle - UEFA

Partilhar

O futuro profissional de Jorge Jesus é uma das questões que mais faz sombra ao campeonato português, desde que o técnico abandonou o Al-Hilal da Arábia Saudita. JJ é cobiçado por muitos, mas poucos terão o capital - financeiro e desportivo - para o atrair. Em declarações à “CMTV” na segunda-feira à noite, Jesus disse estar tranquilo quanto ao futuro… e deixou pistas sobre o mesmo.

“Felizmente posso escolher, se não gostar daquilo que me apresentarem, não trabalho. Em Inglaterra, tenho a possibilidade de começar a trabalhar já em maio. Não vou dizer qual é a equipa, que está numa posição difícil na tabela da Premier League e é capaz de descer. Disse que ia pensar e vou fazer isso, mas não é a minha prioridade”, afirmou.

Apesar de ter saído da Arábia Saudita há pouco tempo, Jesus continua a ser procurado por alguns dos clubes daquele país. “Não tenho nada definido e fiquei de pensar. Se não puder decidir, continuo a trabalhar e se não for em maio, não me importo de ficar até janeiro sem trabalhar. Na Arábia, já me propuseram trabalhar, vou estar sereno e perceber o que pode acontecer, mas tenho um feeling de que vou trabalhar numa parte em que ninguém pensa”, disse.

Quanto a Portugal, Jesus confessou que não se importava de regressar. “Quero acabar a carreira em Portugal, mas não quero ser foco de desestabilização para ninguém. Tenho uma história bonita no Braga, conquistei o único título internacional lá, a Intertoto. Trabalhei com o presidente António Salvador que fez crescer o Braga ao nível de Benfica, Sporting e FC Porto, em termos de infraestruturas. Mas comigo ninguém falou”, disse.