Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

JJ custou €20 milhões, desapareceu €1 milhão em scouting, compra de Acuña gera dúvidas e outros problemas. A auditoria forense aos leões

Em três épocas nos leões, nas quais apenas ganhou uma Supertaça e uma Taça CTT, Jorge Jesus ganhou mais de 20 milhões de euros. Por comparação, Sérgio Conceição, no FC Porto, e Rui Vitória, no Benfica, não ultrapassaram os 2 milhões de euros por época, no mesmo período

Expresso

Pedro Nunes

Partilhar

A auditoria forense às contas do Sporting durante a tutela de Bruno de Carvalho, tal como vinha a prometer há meses, traz muitos sinais de alerta e preocupação. O “Record” e o “Correio da Manhã” revelam esta quarta-feira as conclusões do relatório feito pela Bakertilly.

Um milhão de euros em scouting desapareceu

Durante o mandato de Bruno de Carvalho, os leões gastaram 3,426 milhões de euros em scouting. Deste valor, cerca de um milhão não tem rasto. “A Sporting SAD não obteve os respetivos relatórios de scouting, no total de cerca de 1,025 M€. Destes relatórios, não foram ainda pagos gastos no total de cerca de 65 mil euros”, lê-se no relatório.

Jorge Jesus custou mais de 20 milhões de euros

Em três épocas nos leões, em que apenas ganhou uma Supertaça e uma Taça CTT, Jorge Jesus ganhou mais de 20 milhões de euros. Por comparação, Sérgio Conceição, no FC Porto, e Rui Vitória, no Benfica, não ultrapassaram os 2 milhões de euros por época, no mesmo período.

Transferência de Acuña gera dúvidas, Sporting não usufruiu de contrapartidas

Em 2017, o Sporting celebrou um contrato de aquisição dos direitos económicos e desportivos de Marcos Acuña, por 6,285 milhões de euros. A este mesmo contrato juntou-se um outro relativo à aquisição de direitos de preferência de três atletas do Racing (1,65 milhões de euros) e à realização de um jogo amigável (1,65 milhões de euros), que perfaz um total de 9,585 milhões de euros.

Dados da auditoria revelam que o Sporting já transferiu estes mesmos valores para os cofres dos argentinos, não tendo, porém, exercido as respetivas opções: a realização de um amigável com o Racing até 30 de junho de 2018 e o direito de preferência de três jogadores dos argentinos.

Montero ia receber quase 3 milhões brutos

Em janeiro de 2018, Fredy Montero renovou contrato com o Sporting até junho de 2019, o que permitiria colombiano receber 2,9 milhões de euros brutos só nesta temporada. O avançado, porém, acabou por sair em fevereiro para os Vancouver Whitecaps. Entre fevereiro e junho de 2018, Montero recebeu 1,2 milhões de euros, praticamente o dobro do que auferiu nos dois anos e meio correspondentes à sua primeira passagem por Alvalade (633 mil euros).

"Não obtivemos explicações suficientes que sustentem o racional que justifica os termos contratuais do segundo contrato, ou seja, um aumento tão grande na sua remuneração", lê-se no relatório da Bakertilly.

Dinheiro vivo em Alvalade

Se há vários aspectos da direção de BdC que são criticados na auditoria, uma das práticas que mais levantou dúvidas passou pelo elevado montante de numerário à disposição dos responsáveis do clube. Ou seja, dinheiro vivo no estádio. “O Sporting manteve por períodos muito alargados montantes de numerário significativos (chegaram a ultrapassar 1 milhão de euros) sem serem depositados em bancos. Este procedimento é totalmente contrário às boas práticas de gestão. Este procedimento dificulta significativamente o controlo de tesouraria, e proporciona o seu uso indevido", aponta o relatório.