Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Caso dos e-mails. Benfica pediu a extensão do mandato de detenção europeu de Rui Pinto

O pedido foi endereçado ao Ministério Público, porém, como Rui Pinto já invocou o princípio da especialidade – que não aceita ser ouvido por outras situações que não o caso Doyen – cabe agora à Hungria decidir, revela o “Correio da Manhã” esta sexta-feira

Expresso

Partilhar

O Benfica está decidido a levar Rui Pinto, o alegado pirata informático responsável pela plataforma Football Leaks, a julgamento, devido ao caso dos e-mails. Para os encarnados, foi o hacker português que passou as mensagens internas do clube aos responsáveis de comunicação do FC Porto.

Segundo o “Correio da Manhã” esta sexta-feira, os encarnados já pediram a extensão do mandado de detenção europeu e da decisão europeia de investigação, com vista à verificação de se no material apreendido pelas autoridades há documentos que digam a respeito ao clube da Luz.

O pedido foi endereçado ao Ministério Público, porém, como Rui Pinto já invocou o princípio da especialidade – que não aceita ser ouvido por outras situações que não o caso Doyen – cabe agora à Hungria decidir.

O “CM” escreve que o pedido terá de ser remetido para Budapeste e tem de ser indicado que existem indícios de que foi Rui Pinto quem acedeu às contas do Benfica.

A justiça húngara tem agora três opções: podem recusar; podem não permitir o alargamento da matéria sobre a qual Rui Pinto pode ser ouvido; ou permitir apenas que se investigue o material apreendido para ver se há indícios de outros crimes.