Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Caso dos e-mails. Benfica acusa FC Porto de esconder segredos da justiça

Os encarnados defendem que Francisco J. Marques atuou com inequívoco dolo direto: “Preparou, com suporte e apoio dos restantes réus, uma campanha para descredibilizar o Benfica. Para além disso, solicitou mais documentos à sua fonte anónima e na forma como vasculhou toda a informação, não atendeu apenas ao interesse público”

Expresso

NurPhoto/Getty Images

Partilhar

Para o Benfica, o FC Porto tem na sua posse documentos internos dos encarnados que ainda não entregou à justiça. O clube liderado por Luís Filipe Vieira acusa os dragões, nas alegações escritas, no processo cível do caso dos e-mails, de concorrência desleal, revela o “Correio da Manhã” esta terça-feira. Mais: o Benfica mantém a exigência de uma indemnização de 17,7 milhões de euros.

“Os réus acederam e mantêm na sua posse documentos relativos a avaliações técnicas e táticas, contratos e protocolos em que o Benfica é parte, atos societários, estratégia comercial e empresarial, estratégia de comunicação, informações financeiras, informações médicas dos seus atletas, comunicações relativas a negociações de atletas, scouting interno e internacional, entre outras informações confidenciais e secretas”, alegam os encarnados.

Segundo o Benfica, o FC Porto guarda também informações “sobre metodologias avançadas de treino desenvolvidas pelos técnicos do Benfica, relatórios sobre desenvolvimento físico dos atletas, relatórios de estratégia de desenvolvimento do Centro de Alto Rendimento, planos de jogo detalhado e esquemas táticos e posicionais”.

Os encarnados defendem também que Francisco J. Marques atuou com inequívoco dolo direto. “Preparou, com suporte e apoio dos restantes réus, uma campanha para descredibilizar o Benfica. Para além disso, solicitou mais documentos à sua fonte anónima e na forma como vasculhou toda a informação, não atendeu apenas ao interesse público”, sublinham.