Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“O árbitro auxiliar mandou beijinhos para a bancada e depois admiram-se que os adeptos respondam”

Em declarações à “Bola” esta quarta-feira, o presidente do Vitória de Setúbal nega que os adeptos sadinos tenham invadido o campo, no final do encontro com o Boavista

Expresso

Partilhar

As críticas à arbitragem da equipa de Fábio Veríssimo, no encontro entre o Vitória de Setúbal e o Boavista do último fim de semana, continuam. E os incidentes que ocorreram no final jogo também são motivo de discórdia. Em declarações à “Bola” esta quarta-feira, Vítor Hugo Valente, presidente da equipa sadina, acusa a equipa de arbitragem de comportamento pouco ético e favorável ao Boavista.

“Não admitimos que ponham em causa o direito de participarmos na Liga. Não queremos favores nem benefícios, mas não admitimos que não empurrem. Mas ninguém vê as imagens e percebe que o árbitro assistente provocou os nossos apoiantes da bancada nascente enviando-lhes beijinhos quando estavam a protestar? Não terá ele de cumprir regras, de não acicatar os ânimos que já estavam exaltados”, afirmou Vítor Hugo Valente.

O presidente do Vitória de Setúbal negou ainda a tese que os adeptos sadinos tenham invadido o campo, no final do encontro.

“Ouvi dizer que adeptos, sublinho o plural, do Vitória invadiram o campo. Não foi só isso que aconteceu, ninguém tocou em ninguém. Só um adepto entrou em campo e foi prontamente impedido por pessoas do Vitória. Mas nenhum adepto pôs o pé fora da bancada. Não houve invasão de campo, as imagens de todas as televisões provam-no”, disse.