Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Nick Kyrgios: “Sinto vergonha alheia. Djokovic tem uma obsessão doentia por ser adorado. Quer ser como o Federer”

Em entrevista ao podcast “No Challenges Remaining” na quarta-feira, Nick Kyrgios confessou o que pensa sobre Wawrinka, Tsitsipas, Djokovic, Federer e Nadal. Alguns destes nomes não ficarão certamente contentes com as suas palavras

Expresso

Nick Kyrgios a provocar o público - que o tinha assobiado - depois de vencer Nadal

Hector Vivas/Getty

Partilhar

Quantas vezes podemos dizer que sabemos o que realmente se passa na cabeça de um desportista quanto os seus adversários? Fossem todos os atletas como o tenista Nick Kyrgios e os courts iam ser ringues de luta-livre.

Em entrevista ao podcast “No Challenges Remaining” na quarta-feira, Nick Kyrgios confessou o que pensa sobre Wawrinka, Tsitsipas, Djokovic, Federer e Nadal - e alguns destes nomes não ficarão certamente contentes com as revelações.

Sobre Djokovic, Kyrgios foi particularmente cáustico. “Ele tem uma obsessão doentia por ser adorado. Quer ser como o Federer. Eu sinto que quer tanto ser adorado que se torna um pouco ‘vergonha alheia’. É uma lenda, provavelmente vai passar o Roger Federer em Grand Slams, mas não consigo aguentá-lo, nunca será o melhor de sempre. Lamento, mas já joguei com os três [incluindo Nadal] e se não me consegues ganhar, não podes ser o melhor de sempre. Aquilo que treino é zero comparado com ele”, atirou.

Nadal também levou com uma dose de ironia em cima. “É muito simpático menos quando perde, aí muda completamente e acusa-me logo de tudo. O tio dele já me disse que me falta educação. Andei 12 anos na escola”, disse.

Quanto a Tsitsipas… há medo.“O número de seguidores que ele tem é incrível. Não poderíamos ser mais diferentes mas ele é muito interessante. Uma vez vi-o a gravar uns vídeos às 9 da manhã e pensei: “Este miúdo não é normal, há alguma coisa aqui que não está certo”. Ele é um jogador de ténis inacreditável e é diferente de todos os outros. Está no Mundo dele e respeito. Uma vez colocou uma foto semi-nu no Twitter, há coisas que são ‘too much’. Adoraria jogar pares com ele mas assusta-me um bocado falar com ele, tenho um bocado de receio”, disse o australiano.

No final, só Federer mereceu elogios. “É o melhor de todos os tempos e tem um talento anormal. É incrível o que ele faz. Todos os miúdos querem jogar como ele”, diz.