Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“Não temos de fazer parte desta corrupção!”. Messi arrisca suspensão de dois anos

Argentino pode enfrentar uma suspensão de dois anos e falhar a qualificação para o Mundial de 2022

Expresso

CARL DE SOUZA

Partilhar

Lionel Messi envolveu-se num confronto físico com Medel no jogo com o Chile, a contar para a Copa América, e ambos acabaram expulsos. Mas a fúria com do argentino não ficou só dentro do relvado. No final do encontro, Messi voltou a criticar a CONMEBOL. Agora, pode enfrentar uma suspensão de dois anos e falhar a qualificação para o Mundial de 2022, avançam os desportivos internacionais.

Mario Díaz, o juiz da partida, justificou assim o cartão vermelho a Messi: “O uso de linguagem e gestos ofensivos, insultantes ou humilhantes (...) Por confrontar o adversário quando a bola já não estava em jogo, aplicando-lhe um golpe forte com o ombro”.

A Argentina ainda subiu ao pódio para reclamar a medalha de terceiro lugar na Copa América. Messi, contudo, recusou-se a receber a medalha de bronze e voltou, mais uma vez, a acusar a CONMEBOL de corrupção e de favorecer o Brasil.

"Ninguém tinha de ser expulso, era amarelo para os dois. Faltaram-nos ao respeito durante toda a competição. Não nos deixaram chegar à final. Não temos de fazer parte desta corrupção!”, afirmou.

Entretanto, a CONMEBOL já reagiu às palavras do argentino. “É inaceitável que em função de incidentes próprios da competição, que contou com 12 seleções em igualdade de condições, se lancem acusações infundadas que faltam com a verdade e põem em discussão a integridade da Copa América”, disse, em comunicado.