Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Diretor desportivo do PSG: “Neymar pode sair, não queremos jogadores que estejam aqui a fazer um favor”

Em entrevista, Leonardo, diretor desportivo do PSG, confirma que o clube francês foi abordado pelo Barcelona por Neymar. Contudo, nenhuma proposta formal chegou a Paris

Expresso

Stephane Mahe

Partilhar

Se depender do Paris Saint-Germain, Neymar pode sair de França. O principal problema, porém, será encontrar quem dê o valor exigido pelos franceses. Em entrevista ao jornal “Le Parisien”, Leonardo, diretor desportivo do PSG, assume que não quer jogadores a fazer “frete” no clube. O Barcelona já perguntou pelo internacional brasileiro, mas não fez nenhuma proposta em concreto.

“É claro para toda a gente que Neymar quer sair. Mas, no futebol, num dia diz-se uma coisa e amanhã já é diferente… Para já, a única coisa concreta é que o Neymar ainda tem três anos de contrato e não recebemos qualquer proposta. Por isso, não há nada para discutir”, afirma Leonardo.

Segundo o responsável do PSG, um jogador querer sair de um clube em que joga é “uma coisa normal”. “Por que é que há-de ser uma desgraça? Como se a culpa fosse sempre dos clubes, que não convencem os jogadores a continuarem”, diz.

Neymar, recorde-se, não compareceu ontem no centro de treinos do PSG para o primeiro treino da pré-temporada. Ou seja, estará a tentar forçar a sua saída. “Ele deveria ter chegado, mas não chegou. Ele sabia que deveria estar aqui. Vamos estudar as medidas que podem ser tomadas como faríamos com qualquer empregado”, diz o representante do PSG.

Ainda na mesma entrevista, Leonardo confirma que o PSG foi abordado pelo Barcelona. “Não nego que já houve uma abordagem do Barcelona, mas não temos propostas formais. Neymar poder sair do PSG se chegar uma oferta que satisfaça todas as partes. Mas, como devem calcular, uma coisa destas não é feita de um dia para o outro… O PSG quer construir algo grande à volta de jogadores que queiram estar connosco. Não precisamos dos que estão aqui a fazer-nos um favor”, afirma.