Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Carl Lewis defende pagamento igualitário no desporto e ataca Donald Trump

O vencedor de nove medalhas de ouro olímpicas disse na segunda-feira que as atletas merecem um pagamento justo e igualitário e criticou Trump por ser “racista” e “misógino”

Tribuna Expresso

Carl Lewis

Patrick Smith

Partilhar

Lewis está em Lima, no Peru, para entregar as medalhas dos 100m e do salto em comprimento nos Jogos Pan-americanos. O jornal inglês “The Guardian” reproduz as declarações da lenda do atletismo.

Carl Lewis admitiu que se tornou atleta graças à mãe, que competiu nos primeiros Pan-americanos, em Buenos Aires, em 1951. “Se eu não tivesse tido uma mulher forte na minha vida, não estaria aqui sentado hoje”, afirmou. “A minha mãe foi uma pioneira.”

Lewis não se coibiu de comentar a queixa da equipa norte-americana de futebol feminino, campeã do mundo, que alega descriminação da parte da federação dos EUA e procura o pagamento equivalente ao da equipa masculina. O atleta deu o seu apoio às campeãs.

“A verdade é que há muito preconceito”, disse. “Temos medo de dar as mesmas oportunidades porque nos dá uma ajuda… a realidade é que não há diferenças entre atletas ou equipas. Por isso, sim, apoio a ideia.”

Lewis foi também extremamente crítico em relação a Donald Trump. “Há muitos problemas atualmente”, disse. “Temos um presidente racista, preconceituoso e misógino, que não valoriza ninguém para além dele próprio. Mas isso não significa que não possamos lutar pelo que é correto, e olhar para os casos em que pode ter sido perdida uma oportunidade ou que tenham sido marginalizados durante as suas carreiras.”