Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Porque é que Neymar ficou no PSG? Atritos, aborrecimentos e nervosismos

Jornais franceses relatam bastidores do caso Neymar, com uma alfinetada de Leonardo

Tribuna Expresso

FRANCK FIFE/Getty

Partilhar

Durou mais de dois meses a novela da possível saída de Neymar do PSG e, como qualquer bom dramalhão, terminou de forma surpreendente, com a permanência do jogador brasileiro. Agora, como um extra para a edição especial em DVD, os diários desportivos franceses – citados pelo site “Globoesporte” – relatam os bastidores de todo o processo, com a participação especial do diretor desportivo Leonardo e um atrito com um jovem jogador durante um treino.

Segundo o “L’ Équipe”, o grande impulsionador do regresso de Neymar foi Messi, que queria ajuda para conquistar a Liga dos Campeões. A direção do clube catalão terá sido sensível a este argumento, fazendo tudo para levar o brasileiro até terras bem conhecidas.

Leonardo, entretanto chegado ao clube parisiense, agastado com os rumores, terá decidido que não haveria mais distinções no balneário do PSG. O compatriota de Neymar terá sido ríspido com a estrela da equipa, desde o primeiro momento, avisando que iria “falar francês” e quem não entendesse “deveria ter aulas”. Neymar não terá gostado.

Entretanto, o “Le Parisien” refere que o presidente do PSG, Nasser Al-Khelaifi, procurou os capitães para lhes dizer que Neymar só iria embora mediante o pagamento de 300 milhões de euros.

Ambos os diários relatam como o Real Madrid acabou a espreitar uma oportunidade, uma vez que Neymar teria deixado esta possibilidade aberta. A Juventus também terá aparecido, em julho.

A lentidão das negociações terá embalado o Barcelona de agosto. Neymar "teve dificuldade para esconder o seu aborrecimento e nervosismo", segundo o "L'Équipe". O jornal diz que, nesta altura e perante o impasse, o brasileiro chegou a ter um atrito com um jovem companheiro de equipa durante um treino.

O mesmo diário chega a dizer que Neymar colocou a hipótese de tudo não passar de um bluff a envolver o PSG, que nunca teria tido a real intenção de vendê-lo, e o Barcelona, que teria entrado na negociação apenas para agradar a Messi.

Os fãs aguardam para saber se haverá segunda temporada, em janeiro ou no próximo verão.