Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

As saudades de Wenger

Sem treinar desde 2018, Arsène Wenger admite a hipótese de regressar ao Arsenal, não ao cargo que manteve durante mais de duas décadas, mas talvez a outras funções ligadas ao futebol

Tribuna Expresso

Neal Simpson - EMPICS

Partilhar

O treinador francês, que passou 22 anos à frente do Arsenal, conversou com o site “beIN Sports” e revelou que mantém o contacto com os gunners e que estaria disposto a integrar a estrutura do clube.

“Tenho mantido contacto com muitas pessoas no clube, apesar de ter procurado manter a distância. Penso que ainda é um pouco cedo, mas gostava de voltar ao clube, não como treinador, mas talvez como uma mais-valia para o departamento de futebol”, revelou.

Depois de já ter afirmado em várias entrevistas que se sente “desesperado” para voltar ao futebol, o treinador francês revelou que recebeu e recusou uma proposta do Fulham,

“Estive tentado, mas tive medo de me atirar assim de cabeça para o projeto. Neste momento sinto-me como alguém que acordou de um coma de 35 anos e que finalmente vê algo diferente. Por isso achei que precisava de mais algum tempo para analisar as coisas à distância», concluiu.

Nas décadas que passou à frente do Arsenal, o técnico conquistou três campeonatos, sete taças de Inglaterra e sete supertaças.