Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“Tinha uma pistola no carro e peguei nela. Não sei porquê, liguei o rádio e comecei a ouvir Pearl Jam”

A voz de Eddie Vedder salvou Dennis Rodman do suicídio. Controverso e excêntrico, o antigo jogador da NBA é o protagonista de um documentário da ESPN

Tribuna Expresso

JEFF HAYNES

Partilhar

Dennis Rodman é um dos basquetebolistas mais polémicos da história da NBA, tão famoso pelas suas qualidades em campo como pelo seu comportamento fora dele. O canal ESPN fez um documentário sobre ele, chamado “30 for 30”, no qual Rodman recorda o dia em que os Pearl Jam lhe salvaram a vida.

"Só queria sentir-me amado por alguém. Os meus pais nunca quiseram saber de mim. Quando cheguei a Detroit fui muito bem acolhido, mas de repente (quando deixámos de ganhar) tudo começou a desmoronar-se e muitas pessoas me abandonaram. Sentia-me sozinho. Não tinha nada", explica Rodman, que jogou nos Detroit Pistons entre 1986 e 1993.

"Escrevi uma carta e fui para o carro que estava estacionado no parque do 'The Palace'. Tinha uma pistola no carro e peguei nela. Mas não sei porquê primeiro liguei o rádio e comecei a pensar que tudo aquilo não tinha a ver com o basquetebol, mas sim com o amor que eu tanto ansiava. Estava a ouvir Pearl Jam - 'Even Flow' e 'Black'. Tinha a pistola ao meu lado, mas relaxei e adormeci a ouvi-los. O que me recordo a seguir é de estar rodeado de polícias. E foi isto", conta o antigo basquetebolista no documentário, citado pelo jornal “Record”.

Dennis Rodman foi cinco vezes campeão da NBA. Para além de ter jogado nos Detroit Pistons, atuou pelos San Antonio Spurs (1993/95), Chicago Bulls (1995/1998), Los Angeles Lakers (1999) e Dallas Mavericks (2000).