Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Então, onde é que Nakajima terá errado?

Ou a história de um projeto inacabado: deficiências, virtudes e planos de Sérgio Conceição para o jogador japonês

Tribuna Expresso

Carlos Rodrigues/Getty

Partilhar

O episódio de Portimão teve muito a ver com o segundo golo sofrido pelo FC Porto, mas não só, de acordo com o jornal “O Jogo”. Está em causa a transição defensiva, bem como as dificuldades na pressão.

A reprimenda de Sérgio Conceição a Nakajima no final do jogo difícil em Portimão acabou por se manter na ordem do dia de ontem, segunda-feira. Enquanto uns tentaram explicar aquilo de que o treinador se queixou, outros condenaram o comportamento do técnico, que mereceu, aliás, a intervenção de jogadores como Otávio, Corona ou Pepe.

É sabido que Sérgio Conceição conhece e reconhece as qualidades técnicas de Nakajima. No entanto, o técnico exige maior rigor defensivo e quer uma atitude “à Porto”. É mesmo a esse nível que as queixas de Conceição se intensificam, uma vez que ofensivamente, pouco há a apontar a um dos melhores rematadores de meia/longa distância do plantel portista.

Um dos aspetos que terão desagradado ao treinador foi a reação pouco efusiva do japonês ao golo do FC Porto, questão que até pode ser explicada pelo facto de Nakajima estar a defrontar o antigo clube.

À margem destas questões, o jogador está a ter aulas intensivas de português. Por agora, o treinador entende-se com Nakajima em inglês, mas a comunicação será bastante facilitada quando o japonês conseguir falar razoavelmente a língua portuguesa.

Recorde-se que o nipónico é o maior investimento da história do clube, tendo o FC Porto pago 12 milhões de euros por metade do seu passe.