Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Os lances polémicos do Rio Ave-FC Porto, vistos pelos especialistas

O FC Porto venceu pela margem mínima. Como habitual, a arbitragem do jogo foi analisada pelos três diários desportivos nacionais

Tribuna Expresso

MIGUEL RIOPA

Partilhar

Em Vila do Conde, o público assistiu a um espetáculo que teve apenas um golo, marcado no primeiro quarto de hora. O FC Porto venceu e mantém-se na perseguição ao surpreendente Famalicão. Em termos de arbitragem, vejamos o que dizem os especialistas do trabalho de Nuno Almeida.

O golo de Marega é legal?

O minuto 13 foi de azar para o Rio Ave mas inevitavelmente de sorte para os forasteiros. Apenas os comentadores do jornal “O Jogo” se pronunciaram sobre o lance mais importante da partida. Jorge Coroado, José Leirós e Fortunato Azevedo concordaram que o lance é limpo, não há nem poderia haver fora de jogo de Marega (o golo nasce de um canto) e o choque que acontece na área é entre dois jogadores do Rio Ave.

Ao minuto 33, Borevkovic deveria ter visto cartão?

O jogador do Rio Ave agarrou Marega, não o largando até provocar a sua queda. A falta foi bem assinalada mas a esmagadora maioria dos especialistas defende que deveria ter sido mostrado um cartão amarelo ao croata. Apenas Jorge Coroado considera que o jogador foi “apenas” imprudente.

Aderllan Santos deveria ter visto cartão aos 43 minutos?

Segundo os peritos em arbitragem do jornal “O Jogo”, o jogador do Rio Ave foi intempestivo e imprudente na falta sobre Zé Luís, podendo e devendo ter visto cartão amarelo.

Corona deveria ter sido expulso?

Ao minuto 55, o portista pisou o vila-condense Nuno Santos. As opiniões dividem-se no que diz respeito a este lance. Jorge Coroado e José Leirós, do jornal “O Jogo”, consideram que a falta não justifica a sanção disciplinar, uma vez que o jogador do FC Porto está a olhar para a bola e o pisão não é intencional. Fortunato Azevedo, do mesmo jornal, Duarte Gomes d’ “A Bola” e Jorge Faustino e Marco Ferreira, do “Record”, consideram que a negligência de Corona deveria ter sido punida com cartão amarelo, que seria o segundo e levaria à expulsão do mexicano.

O golo do Rio Ave foi bem anulado?

Aos 63 minutos, a bola entrou na baliza de Marchesín mas os esforços de Taremi foram anulados por indicação do árbitro assistente. O lance demorou quatro minutos a ser analisado pelo VAR, que decidiu que o vila-condense estava em fora de jogo. Todos os especialistas concordam que o lance é de difícil análise mas concluem que foi bem ajuizado.

Arbitragem globalmente positiva

Apesar do critério disciplinar desequilibrado, a arbitragem de Nuno Almeida recebeu nota positiva. O árbitro algarvio contou também com o auxílio precioso dos seus ajudantes de campo e do VAR.