Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Coleen e Rebekah, as senhoras Rooney e Vardy, protagonizaram o melhor enredo (quase) policial do ano

Coleen e Rebekah são as esposas de Wayne Rooney e Jamie Vardy, respetivamente. Nos últimos dias, protagonizam uma guerra nas redes sociais

Tribuna Expresso

Plumb Images

Partilhar

O enredo é mais ou menos este: alguém andava a passar informações ao “The Sun” sobre a vida familiar dos Rooney. Entretanto, para descobrir o bufo (ou o feminino do mesmo), Coleen, à maneira da personagem Baldrick, da série Blackadder, preparou um plano “ardiloso”. Passou cinco meses a dar pistas falsas e a lê-las publicadas no tabloide. Ontem (spoiler alert) desmascarou Rebekah, a mulher de Vardy.

Para Coleen Rooney, as redes sociais nunca mais vão ser a mesma coisa. Principalmente depois de ter descoberto que o que ali se escreve pode eventualmente acabar estampado nas páginas dos jornais. O choque aguçou o engenho e fez com que montasse uma trama para desmascarar a traidora, logo a companheira de um outro internacional inglês, Jamie Vardy.

Entre notícias sobre o Brexit, Trump e a Síria, surgiu na imprensa internacional a saga de Coleen Rooney, contada na primeira pessoa, no Twitter, e recontada num artigo do jornal “O Jogo”. Exausta de ver informações que só partilhava na conta pessoal do Instagram (imaginamos facilmente a quantidade de “WTF” desabafados por Coleen) passados para o papel (principal) do jornal “The Sun”, a esposa de Rooney sentiu necessidade de “tentar descobrir quem poderia ser”. Passou “cinco meses” a tentar confirmar a sua suspeita. “Bloqueei as minhas histórias para que ninguém as pudesse ver, exceto numa conta,” descreve.

Nos tais cinco meses, Coleen publicou “uma série de histórias falsas” como isco. E a pescada mordeu. Essas publicações acabaram por aparecer publicadas no “The Sun”. A última delas falava da inundação de uma nova mansão, acrescentando uma personagem chamada Lorenzo à história, um tal furacão que terá poupado os Rooney.

“Foi duro guardar isto só para mim”, admitiu Coleen, mas “tinha de ser”. Com as provas de que apenas uma pessoa vira as publicações, denunciou, quiçá ao som de música dramática: “É… a conta de Rebekah Vardy!”.

Exercendo o seu direito, a Sra. Vardy apressou-se a negar tudo, usando sempre como palco o mui nobre estrado das redes sociais. Quanto ao jornal inglês, apenas assegurou ter tentado sempre obter a versão de Coleen. Rebekah, de lágrima num dos dois olhos, declarou-se vítima das armadilhas virtuais. “Ao long dos anos, várias pessoas acederam ao meu Insta e ainda esta semana descobri que sigo pessoas que nunca conheço e nunca segui (‘WTF’?),” refere a acusada. Fez questão ainda de dizer que não precisa “do dinheiro” e questionou: “O que ganharia em vender histórias sobre ti?”.

No fim, destruiu-se uma amizade que estava para durar… pelo menos, nas redes sociais. “Gostava muito de ti, Coleen”, diz Rebekah, que está “gravidíssima” e extremamente magoada, mesmo “enojada por ter de desmentir” a acusação. Aguarda-se o final, esperando que seja feliz, com direito a “gostos” e “partilhas” e tudo.