Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Caso Jogo Duplo. FPF condena pela primeira vez futebolistas por viciação de resultados

Abel Jorge Pereira Silva, antigo campeão mundial de sub-20, e Gustavo Portela Soares Oliveira, ex-treinador da Sanjoanense, foram condenados. Os dois agentes desportivos foram punidos com quatro anos e meio de suspensão de toda e qualquer actividade relacionada com o desporto e uma multa de 1530€ pela prática do crime de corrupção

Expresso

Partilhar

Pela primeira vez em Portugal, dois jogadores e dois agentes desportivos foram condenados por viciação de resultados. A sentença, a que o “Público” teve acesso, proveio da secção não profissional do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), no âmbito do apelidado caso “Jogo Duplo”.

Estava em causa o o aliciamento de jogadores de futebol em Portugal para que estes interferissem nos resultados das competições desportivas em prejuízo das equipas que representavam.

João Tiago Oliveira Rodrigues, ex-jogador do Estarreja, actualmente a representar o São João de Ver, foi condenado a um total de três anos de suspensão da prática desportiva e a uma multa de 1071€ pelo crime de corrupção, juntamente com 12 jogos de suspensão.

A mesma pena foi aplicada a Hugo Filipe Santos Guedes, também futebolista do Estarreja na época de 2015/16, período em que ocorreram as práticas ilícitas, e que agora joga no Folgosa da Maia.

Também Abel Jorge Pereira Silva, antigo campeão mundial de sub-20, em Riade, e Gustavo Portela Soares Oliveira, ex-treinador da Sanjoanense, foram condenados. Os dois agentes desportivos foram punidos com quatro anos e meio de suspensão de toda e qualquer actividade relacionada com o desporto e uma multa de 1530€ pela prática do crime de corrupção.