Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Luís Filipe Vieira suspeito de beneficiar de fraude no BES

A Inland, empresa de Luís Filipe Vieira, terá sido ajudada através da Eurofin, uma entidade do BES utilizada para mascarar as contas do banco, indica a revista "Sábado"

tribuna expresso

NurPhoto/Getty

Partilhar

A tese do Ministério Público é revelada na edição desta semana da revista "Sábado": o Banco Espírito Santo (BES) terá ajudado a Inland, empresa detida por Luís Filipe Vieira, através da Eurofin, uma entidade suíça que serviu parar mascarar as contas do banco.

De acordo com a "Sábado", esta suspeita integra os autos do Ministério Público relativos ao processo do BES, com a Eurofin a ser uma ferramenta para retirar "ativos stressados" do balanço do banco e veículo de investimento para reestruturações de dívida de "clientes privilegiados", como era o caso da Inland, empresa imobiliária detida pelo presidente do Benfica, e da Obriverca, de Eduardo Vítor Rodrigues, sócio de Vieira.

Questionado pela "Sábado" sobre a relação entre a Inland e a Eurofin, Luís Filipe Vieira disse desconhecê-la e acrescentou nunca ter sido ouvido nem como arguido nem como testemunha no processo do BES.

Recorde-se que, em finais de 2017, Vieira e o Novo Banco (ex-BES) acordaram a reestruturação de parte da dívida das suas empresas do presidente do Benfica, que rondaria os 400 milhões de euros.