Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“Kyle, nunca me senti tão seguro como nesta noite”. Walker como guarda-redes? Talvez não

Uma lesão e uma expulsão obrigaram o jogador do Manchester City a calçar as luvas nos oito minutos finais do empate do Manchester City frente à Atalanta

Tribuna Expresso

Michael Regan

Partilhar

No fim do jogo da passada terça-feira, Kyle Walker publicou no Twitter: “Não esperava que a noite acabasse assim, mas acho que vou ficar-me por ser jogador de campo”,

A substituição de Ederson ao intervalo por problemas físicos e a expulsão de Claudio Bravo obrigaram Guardiola a improvisar, colocando o lateral direito a ir à baliza nos oito minutos finais do empate do Manchester City em Itália, frente à Atalanta. Walker acabou por ser decisivo, segurando um livre direto à segunda e agarrando a bola num cruzamento.

Bernardo Silva não perdeu a oportunidade para brincar, desta vez sem risco de penalização: “Kyle, nunca me senti tão seguro como nesta noite”, escreveu o português nas redes sociais.

Outro português do Manchester City, João Cancelo, destacou a coragem de Walker, em declarações à Sky Italia: “Mostrou grande atitude, foi além da obrigação dele pela equipa, era um momento difícil, precisávamos que alguém assumisse e o Kyle esteve muito bem”.

Já Pep Guardiola explicou a opção: “Foi-me sugerido por ser corajoso e rápido”.

Apesar dos elogios, a experiência não é para manter. Guardiola explicou que o problema de Ederson é muscular e Jurgen Klopp, treinador do Liverpool, que vai defrontar o City no domingo, está certo de que o antigo benfiquista vai jogar. “A cem por cento. É demasiado importante para o jogo deles,” afirmou o alemão.