Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Bruno Fernandes ajudou o Sporting a poupar milhões

O capitão dos leões admitiu que abdicou de receber cinco milhões de euros de compensação

Tribuna Expresso

Partilhar

Na antevisão ao duelo com o PSV e após ter assinado o novo contrato, Bruno Fernandes admitiu finalmente ter abdicado de receber cinco milhões de euros a que tinha direito, na eventualidade de a SAD recusar uma proposta superior a 35 milhões, o que acabou por acontecer, no verão, com o Tottenham. No novo contrato, assinado terça-feira, esta cláusula deixou de existir, anuncia o “Record”.

"Fala-se em milhões sem ter a certeza do que é. Sim, foi aceite por mim e pelo meu empresário que essa cláusula dos 35 milhões fosse retirada, até porque tive oportunidade de a usar e não a usei; logo, não fazia sentido estar lá", começou por explicar Bruno Fernandes. "Tinha também um pagamento da parte do Sporting se não me deixasse sair e esse pagamento também não aconteceu. Como foi feita a renovação, achei por bem que esse dinheiro não fosse usado, até porque se fosse não haveria renovação. Já demonstrei mais do que uma vez o respeito que tenho pelo Sporting. Muita gente diz, numa altura em que o clube passa por dificuldades, que é uma renovação muito estranha. Mas é fácil fazer as contas. Cinco milhões (livres de impostos), para o Sporting seriam 10 M€ (brutos), e a minha renovação não chega perto dos 5 milhões", sublinhou.

Quando lhe perguntaram se podia prometer aos adeptos que não sairá em janeiro, o capitão foi claro: "São coisas que não posso prometer, não sou eu que tenho a força para decidir isso ou não. Esta renovação nada tem a ver com uma eventual saída ou ficar aqui, nunca foi isso que esteve em jogo. Estou feliz, é um sinal de reconhecimento do meu trabalho e dá-me mais vontade e obrigação de lutar e querer fazer mais, por mim e pela responsabilidade que o clube coloca em cima de mim", afirmou o médio, que está focado em melhorar os números históricos de 2018/19: "Acredito sempre que posso fazer mais e melhor. Tenho a noção de que a última época foi muito boa e que é difícil de superar ou igualar. Mas tenho de acreditar no que sou capaz de fazer: se fui capaz de fazer 32 golos e 17 assistências, por que razão não tentar fazer mais?"