Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

A resposta de Varandas a um dirigente do Vitória de Setúbal: “Se me tocas, arranco-te a cabeça”

O diretor financeiro dos Sadinos chegou a ameaçar fisicamente o presidente do Sporting. O clima de tensão foi presenciado por um dirigente da Liga

Tribuna Expresso

Partilhar

Como era esperado, o jogo entre o V. Setúbal e o Sporting acabou em polémica, em especial na tribuna do estádio, onde estavam os dirigentes de ambas as partes. Foram noventa minutos de provocações e um final de nervos. Segundo o jornal “Record” apurou, o diretor financeiro dos sadinos, Carlos Sousa, tentou entrar em discussão com Frederico Varandas e, quando o jogo terminou, ‘cresceu’ para o presidente do Sporting, aparentemente com a intenção de chegar a vias de facto, no que terá sido secundado por outros presentes.

O episódio começou de uma forma caricata. "Estás a olhar para mim!? Estiveste no Afeganistão, mas não tenho medo!", desafiou o dirigente do Vitória, que se terá aproximado do líder leonino, em atitude ameaçadora. "Se me tocas, arranco-te a cabeça!", reagiu então Varandas. Vários elementos da polícia e outros espetadores terão acalmado os ânimos. Varandas saiu da tribuna e do estádio sem problemas.

De acordo com o “Record”, o coordenador de delegados da Liga, Reinaldo Teixeira, estava no local e assistiu de perto ao incidente. Tendo em conta o seu testemunho próximo, o caso poderá vir já referido no relatório dos delegados da Liga. Os Leões entendem que há motivos mais do que suficientes para a abertura de um processo disciplinar. Em qualquer caso, é praticamente certo que o Conselho de Disciplina da FPF vai ordenar a abertura de um inquérito para averiguar todos os episódios que marcaram o jogo para lá das quatro linhas.

Em Alvalade, existem suspeitas de uma encenação eleitoralista dos dirigentes do V. Setúbal em torno do surto gripal que afetou a equipa. Os Leões acharam estranho, por exemplo, que os apanha-bolas tenham utilizado máscaras, quando as pessoas que circulavam nos corredores de acesso aos balneários não tomaram as mesmas precauções.

Por outro lado, ao contrário do que é regra no Bonfim, e como Manuel Fernandes, antigo treinador dos Sadinos, lembrou no programa “Play Off”, da SIC Notícias, a iluminação da tribuna foi mantida ligada. O facto é visto como mais um indício de que o objetivo seria criar aparato mediático e provocar a ira dos adeptos. "Isto é uma palhaçada", terá dito Frederico Varandas, referindo-se a toda a situação.