Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Messi pode deixar o Barcelona em junho

O conflito com Eric Abidal agravou a situação dentro do clube e o argentino tem uma cláusula no contrato que lhe permite sair a custo zero

Tribuna Expresso

Soccrates Images

Partilhar

Não é novidade que o ambiente no Barcelona está pouco pacífico. A imprensa internacional fala já na possibilidade de Lionel Messi deixar a Catalunha no final da época, a custo zero.

As recentes declarações de Abidal, secretário técnico do clube, apontando o dedo aos jogadores e considerando-os culpados pela demissão do treinador Ernesto Valverde, levaram a uma reação crítica de Messi no Instagram, pedindo ao francês que revele os nomes dos jogadores em causa.

De acordo com o jornal “Marca”, o argentino está farto que o acusem de escolher os treinadores, as contratações e as dispensas no clube, apesar de já ter dito várias vezes que não interfere em questões de política interna. A mudança de treinador, sem o efeito desejado, as saídas que não foram colmatadas e as lesões de Luis Suárez e Dembélé podem influenciar Messi a optar por sair em busca de um projeto mais organizado.

Os italianos da “Gazzetta dello Sport” dizem que há clubes muito atentos ao desenrolar dos acontecimentos no Barcelona e prontos para avançar mal o jogador abra a porta para sair. No contrato que assinou em 2017, o astro argentino tem uma espécie de “cláusula de saída” que lhe reserva a possibilidade de deixar o Barcelona todos os anos a 30 de junho. A decisão depende apenas dele.

Caso isso aconteça este ano, a “Gazzetta dello Sport” adianta que clubes como PSG, Manchester City, Manchester United, Juventus e Inter estarão na linha da frente para o receber, mesmo sabendo de antemão que, não pagando transferência, terão de desembolsar muitos milhões em termos salariais. O “Daily Mail” estima que Messi assinaria por um salário entre os 50 e os 85 milhões de euros por ano.

Numa entrevista ao jornal catalão “Sport”, o jogador já tinha reconhecido que "a cláusula e o dinheiro não significam nada". "O mais importante para mim é um projeto ganhador."