Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Erdal Rakip e o Benfica: “É assim a vida no estrangeiro: não podes confiar em ninguém”

O ex-jogador do Benfica não se arrepende da passagem pela Luz mas lamenta a falta de oportunidades

Tribuna Expresso

Lars Dareberg

Partilhar

Passou pouco mais de um ano desde que o médio sueco de 23 anos deixou o Benfica em definitivo para regressar ao país de origem e representar o Malmo. Erdal Rakip é um nome que poucos conhecem e, também pela falta de oportunidades para se mostrar, revela alguma infelicidade com a passagem pelas Águias.

“Foi um ano de aprendizagem, não me arrependo. Queria ter jogado mais, mas aprendi muito e estou grato por esse ano. Tenho de ser honesto: sim, foi um salto demasiado grande. O Benfica é um clube muito grande, mas também não tive uma oportunidade real para me mostrar. Se tivesse tido e não jogasse bem, teria entendido perfeitamente”, afirmou, em declarações à publicação sueca “Fotbollskanalen, citada pelo jornal “A Bola”, antes de abordar o empréstimo ao Crystal Palace, realizado praticamente quando aterrou em Lisboa.

“Sabia que ia ser emprestado, mas ainda não estava definido o clube. Seria emprestado e voltaria na época seguinte para me mostrar. Estaria na pré-época com a equipa principal para mostrar o que valia, mas não tive essa oportunidade. Quando a época começou continuei na equipa B. Mas é assim a vida no estrangeiro: não podes confiar em ninguém. E, não tendo a minha oportunidade, só tinha de esperar meio ano até à janela de transferências reabrir. Quando chegou o inverno pensei que era hora,” desabafou.

Rakip voltou a abordar o tema um pouco mais à frente: “Tinham-me prometido que voltaria e faria a pré-temporada, mas não aconteceu. Não podes confiar nas coisas que te dizem. Mas o que está feito, está feito, e agora aqui estou, para esquecer e tentar encontrar algo de positivo,” concluiu.