Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Barcelona: Direção mandou criar contas falsas nas redes para difamar atuais e ex-jogadores

A polémica continua em Camp Nou. Há provas de que o clube contratou uma empresa para espicaçar os próprios atletas nas redes sociais

Tribuna Expresso

Tim Clayton - Corbis

Partilhar

Vivem-se dias complicados em Barcelona. Ainda. Depois de, há algumas semanas, ter estalado o conflito entre o secretário técnico Éric Abidal e Lionel Messi, o clube arranjou agora um novo problema, bem mais grave. A direção liderada por Josep Maria Bartomeu fica em lençóis muito rotos.

O presidente desmente as acusações, mas a Cadena SER revelou documentos que comprovam a existência de um contrato celebrado entre o Barcelona e a empresa I3 Ventures, no valor de um milhão de euros, para, segundo a versão oficial, "zelar pela reputação do clube" nas redes sociais. Na prática, a empresa geria “contas-fantasma” que serviam apenas para difamar atuais e ex-jogadores do clube, bem como outras figuras do universo blaugrana.

"É falso que o Barça, em qualquer circunstância, tenha contratado um serviço para desacreditar seja quem for", afirmou Bartomeu. Apesar disso, o líder dos catalães admitiu a ligação à I3 Ventures, mas garantiu: "Já demos instruções para rescindir o contrato com essa empresa."

Guardiola, Xavi, Piqué e até Messi terão sido alvo desses conteúdos difamatórios. O presidente foi ontem ao treino do Barcelona para reunir com a estrela argentina e outros jogadores da equipa. Joan Laporta, antigo presidente e candidato assumido às próximas eleições, também foi visado pelo esquema que qualifica de "práticas mafiosas" da atual direção. "Têm de se demitir", exigiu.