Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Relatório policial refere racismo de adeptos portistas contra Abdu Conté

Os insultos dirigidos ao defesa do Moreirense terão acontecido no jogo entre a equipa de Moreira de Cónegos e o FC Porto

Tribuna Expresso

MIGUEL RIOPA

Partilhar

Depois de Marega ter (finalmente) posto o racismo no mapa do futebol falado, chega a notícia de que, entre os Dragões, há vítimas mas também suspeitos de ataques racistas.

Em causa estarão insultos de teor xenófobo dirigidos por adeptos portistas a Abdu Conté, defesa esquerdo de 21 anos do Moreirense, durante a deslocação, a 10 de janeiro, dos azuis e brancos a Moreira de Cónegos.

De acordo com o jornal “A Bola”, o relatório policial redigido pelo capitão do destacamento da Guarda Nacional Republicana (GNR) responsável pela segurança da partida em questão, levou o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol, presidido por José Manuel Meirim, a instaurar um processo ao FC Porto.

O anúncio da ação interposta pelo CD data de 17 de janeiro, mas foi apenas nas últimas horas que foi quebrado o sigilo e revelada a razão da abertura do processo disciplinar n.º 57 - 2019/2020.

Para que seja definido o castigo (ou a ausência dele), jogador visado, representante da GNR, delegados do jogo e árbitro foram já convocados a prestar os respetivos testemunhos.

Diga-se que sem a obtenção de provas concretas, o CD não poderá aplicar qualquer punição. Apenas se for provado que os clubes tiveram uma postura colaborante com os supostos autores dos ataques racistas é que o organismo disciplinar pode atuar.

O castigo para estes casos pode ir da realização de jogos à porta fechada e multas entre 20.400 euros e 102 mil euros.