Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Túnel do Jamor: Pedro Ribeiro mantém que foi agredido mas não sabe por quem

Foi divulgado o acórdão relativo aos desacatos no Belenenses SAD – FC Porto. A falta de provas ditou o arquivamento mas o ex-treinador dos azuis do Jamor mantém a sua versão

Tribuna Expresso

MARIO CRUZ

Partilhar

Foi arquivado o processo de inquérito instaurado na sequência do caso do túnel do Jamor, entre Pedro Ribeiro, então treinador do Belenenses SAD, e Sérgio Conceição, técnico do FC Porto. Agora, uma semana depois, o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol, presidido por José Manuel Meirim, tornou público o acórdão no qual são especificadas as razões de não se terem registado quaisquer punições.

O CD detalhou, ao longo de 13 páginas, todas as etapas do processo, partindo dos fundamentos que ditaram a abertura do dossiê até às normativas que ditaram a conclusão. Em suma, o caso acabou assim: “Muito embora se encontre fortemente indiciado que Pedro Ribeiro sofreu uma ofensa à sua integridade física, o certo é que, quanto ao agente que a perpetuou, não é possível concluir pela existência de indícios da sua identidade”.

O testemunho do próprio Pedro Ribeiro não ajudou a esclarecer a situação. Pode ler-se no documento: “De notar que o próprio ofendido (…) não é capaz de identificar minimamente o agente e, para além disso, mal consegue esclarecer quem se encontrava perto de si no momento em que o comportamento infrator ocorreu”.

Na entrevista dada por Sérgio Conceição ao Canal 11, este admitiu que existiu tensão entre os dois treinadores, expressa em palavras e nunca mais do que isso.