Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

O dono do Hoffenheim quer desenvolver vacina contra o coronavírus

Dietmar Hopp é proprietário de uma empresa biofarmacêutica que está a tentar travar a pandemia

Tribuna Expresso

DeFodi Images

Partilhar

O proprietário do Hoffenheim é uma figura controversa, contestada, mas é, ao mesmo tempo, dono da CureVac, uma empresa biofarmacêutica com sede em Tübingen, na Alemanha. A empresa tem estado a trabalhar numa vacina contra a pandemia e o processo pode estar a entrar na fase final, de acordo com o jornal alemão “Der Spiegel”. Ao mesmo tempo, Hopp é também acionista da Fundação Bill e Melinda Gates, que, em parceria com a CureVac, desenvolve vacinas contra vários tipos de doenças infeciosas.

Nos últimos dias, a CureVac foi referida várias vezes devido ao interesse de Donal Trump nos seus serviços, para garantir a exclusividade da vacina com oferta de elevadas quantias de dinheiro, mas a empresa recusou tal cenário e Hopp não poupou Trump, acusando-o de falta de solidariedade.

"Se queremos desenvolver uma vacina eficaz contra o coronavírus, uma pessoa não deve apenas chegar e proteger as pessoas, mas também ter mais solidariedade para com elas", disse o bilionário.

Entretanto, o governo alemão já garantiu que a empresa se vai manter no país e que a vacina não será vendida. "Foi uma grande decisão da administração da empresa. Com essa decisão de oferecer a possível vacina a todo o mundo, a empresa deixou claro qual seria a sua posição perante uma crise. A Alemanha não está à venda", explicou o ministro federal da Economía, Peter Altmaier, à cadeia de televisão ARD.