Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Ausência de Varandas leva a protesto da oposição, que pede eleições

Frederico Varandas disponibilizou-se voluntariamente para ajudar a combater a pandemia de Covid-19. Movimento "Sou Sporting" pede eleições já em abril

Tribuna Expresso

ANDRE KOSTERS

Partilhar

O presidente do Sporting é também médico com formação militar. Pela sua experiência no exército, Frederico Varandas voluntariou-se para contribuir no combate contra a pandemia de Covid-19. Aplaudido por muitos, o gesto de Varandas está a ser utilizado pela oposição, nomeadamente pelo movimento “Sou Sporting”, que quer convocar eleições.

De acordo com a notícia do jornal “A Bola”, este grupo de adeptos emitiu um comunicado alegando que a atitude de Varandas “impossibilita fisicamente” o presidente de cumprir as suas funções no Sporting, situação que, de acordo com os estatutos, leva à destituição.

O grupo argumenta que, enquanto militar, com a declaração do Estado de Emergência, Varandas passou à “efetividade de funções”, de acordo com o Estatuto dos Militares. “Nessa qualidade, a efetividade de serviço pressupõe a prestação de funções militares, em regra, em regime de exclusividade,” acrescenta o comunicado.

Isto significa, de acordo com o movimento, que “o cidadão Frederico Varandas não pode exercer outras funções, nomeadamente em acumulação com os cargos diretivos que exerce no Sporting Clube de Portugal e na SAD do Clube”.

O movimento “Sou Sporting” pede mesmo eleições para o próximo dia 20 de abril.