Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Benfica não quer vender jogadores

SAD recusa negociar os atletas a preço de saldo e quer manter o plantel quase intacto

Tribuna Expresso

MIGUEL A. LOPES

Partilhar

De acordo com o “Record”, o Benfica quer segurar quase todo o plantel comandado por Bruno Lage. Conscientes dos efeitos que a Covid-19 pode provocar no futebol, os dirigentes do clube da Luz apostam acima de tudo na estabilidade e querem poucas entradas e poucas saídas.

Aproveitando a paragem na esmagadora maioria dos campeonatos, a direção das Águias tem conversado sobre os efeitos da pandemia e antecipa um cenário de contenção por parte dos grandes clubes europeus, que costumam despender mais facilmente milhões pelas mais-valias dos planteis nacionais.

O Benfica tem ganhado protagonismo mediático devido às transferências avultadas que tem feito, sobretudo dos jogadores formados no Seixal. No verão de 2019, as águias arrecadaram 152 milhões de euros, em grande parte devido à transferência de João Félix para o Atlético Madrid. O Benfica garantiu também 16,2 milhões de euros pela ida de Jovic do Eintracht Frankfurt para o Real Madrid. Os encarnados sabem que não terão um verão assim em 2020.

Até agora, o Benfica tinha definido cinco lugares como prioritários para reforçar: lateral direito, lateral esquerdo, defesa central, médio de transição e segundo avançado. No entanto, segundo o “Record”, os responsáveis dos campeões nacionais estão dispostos a refazer os planos, forçados pelo cenário de abrandamento.

Pedrinho já foi contratado ao Corinthians e Diogo Gonçalves regressa (pelo menos para a pré-temporada) depois do empréstimo ao Famalicão, o recurso à equipa B poderá ser encarado como solução de recurso, bem como a continuidade de jogadores transferíveis.