Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Luiz Phellype, a exceção: brasileiro continua a treinar e a receber

Por estar lesionado, o jogador do Sporting faz trabalho de recuperação e tem direito a receber o ordenado por inteiro

Tribuna Expresso

EDUARDO COSTA/Lusa

Partilhar

A maioria dos colegas do brasileiro está de férias, à espera de ver no próximo recibo de vencimento um corte de 40 por cento. Houve um acordo entre a administração da SAD e os jogadores do Sporting para minimizar os efeitos da pandemia, mas há um jogador que funciona como a exceção à regra.

Segundo “A Bola”, Luiz Phellype, de 26 anos, é o único elemento do plantel que não está de férias continua diariamente a trabalhar em Alcochete para recuperar da intervenção cirúrgica a que foi submetido. O brasileiro é também o único que não deverá ser abrangido pelo corte salarial, por uma razão simples: não é, nesta altura, o Sporting que lhe paga o vencimento mensal.

No Sporting, como em todos os clubes, é obrigatória a existência de um seguro que, em caso de lesão grave, cubra o vencimento. Em caso de ausência prolongada da competição, por exemplo, se a recuperação se arrastar por alguns meses, como acontece com Luiz Phellype, o seguro é ativado. Recorde-se que o avançado só deverá estar apto para regressar aos relvados no início da próxima época.