Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Pactos, grupos WhatsApp: os capitães da Premier League sabem tudo sobre reduções salariais em todos os clubes

Um grupo criado pelos capitães de cada clube serve agora para ajudar os jogadores nas respetivas conversações

Tribuna Expresso

Peter Nicholls

Partilhar

Os jogadores da Premier League fizeram um pacto para se manterem uns aos outros atualizados acerca das respetivas negociações para a redução do salário. O gesto pretende dar apoio a todos contra cortes duvidosos. A ferramenta escolhida foi o Whatsapp, com o aproveitamento de um grupo que já tinha sido criado pelos capitães de cada clube.

A maioria das equipas está em negociações com os dirigentes dos clubes com vista a um acordo para a redução dos ordenados, de forma a que o futebol consiga ligar com o impacto financeiro do novo coronavírus. Recorde-se que a Premier League recomendou, a 3 de abril, uma percentagem de 30% para todos os casos mas, até agora, apenas duas equipas – West Ham e Southampton – chegaram a acordos. De acordo com o “Daily Mail”, os jogadores do Arsenal rejeitaram uma proposta inicial do clube para mais tarde aceitarem um corte de 12,5%.

As tentativas para criar um acordo que unisse a liga inteira falharam, com as negociações a continuarem em cada clube, com os jogadores a fornecerem informações atualizadas aos colegas de equipas rivais para que saibam o que está a ser negociado noutros estádios.

O jornal inglês diz que alguns clubes estão relutantes em implementar qualquer redução salarial por receio de que isso vá apenas a aumentar as despesas no futuro. Existe também um sentimento, nalguns clubes, de que as reduções salariais, através de cortes ou adiamentos, tornariam mais difíceis de justificar gastos consideráveis na próxima janela de transferências.