Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Para já, duas corridas em Silverstone: a indefinição histórica no calendário da Fórmula 1

Prosseguem os dias incertos. Os responsáveis pela F1 continuam a navegar à vista enquanto procuram uma solução definitiva para a temporada 2020

Tribuna Expresso

LARRY W. SMITH

Partilhar

Segundo o jornal “The Guardian”, a organização do Grande Prémio da Grã-Bretanha já confirmou que, caso seja necessário, irá receber duas corridas consecutivas em Silverstone, esta época, encontrando-se neste momento em conversações com os gestores da Fórmula 1. Stuart Pringle, diretor do circuito, diz que já começaram as preparações para serem a primeira pista a receber dois grandes prémios consecutivos.

“Discutimos todas as opções, incluindo receber duas corridas no mesmo fim de semana e duas corridas em fins de semana consecutivos,” afirmou Pringle. “Tenho plena confiança na nossa capacidade para organizar estes eventos. Temos muita experiência e conhecimentos, definitivamente somos capazes.”

Com as corridas suspensas por causa da pandemia, o F1 Group, subsidiário da Liberty Media, está a considerar todas as opções, incluindo duas corridas no fim de semana do Grande Prémio da Grã Bretanha, agendado para 19 de julho. O evento de Silverstone será certamente à porta fechada.

Atualmente, o Grande Prémio de França permanece na agenda como o primeiro da temporada, a 28 de junho, mas é muito provável que seja adiado, uma vez que o governo francês baniu ajuntamentos até meados de julho. A corrida seguinte seria na Áustria, a 5 de julho, duas semanas antes da prova britânica.

Silverstone irá decidir até ao fim de abril se vai permitir a presença de público no circuito mas entretanto vai-se preparando para uma prova sem espetadores. “Penso que a F1 vai ter uma decisão acerca de todo o calendário no início de maio,” diz Pringle.

O diretor do circuito inglês insiste que quaisquer decisões deverão ser tomadas tendo em conta as visões do governo e das autoridades de saúde. “É importante que haja uma discussão sobre regressar às corridas. De outra forma, arriscamos ser uma distração para a mensagem principal que é ficar em casa e não queremos sê-lo.”